Meio&Mensagem

Siga-nos

Publicidade

MWC 2021, em formato híbrido, aborda impacto da conectividade

Evento da GSMA retorna este ano e espera reunir 35 mil participantes presencialmente, além do público online

Taís Farias
24 de junho de 2021 - 13h33

Após um ano ausente, o Mobile World Congress (MWC) volta a ser realizado, em Barcelona, nesta semana, entre os dias 28 de junho e 1º de julho. Em fevereiro do ano passado, a pouco mais de dez dias antes do início do evento, a GSMA, entidade que representa mais de 1,2 mil empresas de telecomunicações e é responsável pela feira, anunciou o cancelamento oficial do MWC por conta dos riscos representados pelo coronavírus. A decisão foi acompanhada da pressão dos participantes. Quase 40 empresas, como fabricantes de smartphones, operadoras e desenvolvedoras de aplicativos, desistiram de participar . Cerca de um mês depois, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia da Covid-19.

Primeiro dia da MWC 2019 (Crédito: Sérgio Damasceno)

O movimento representou impacto significativo para as operações da GSMA, que já havia reservado os custos operacionais do evento, vendido ingressos e montado parte da estrutura do necessária para realização da feira. Ainda em fevereiro do ano passado, a instituição chegou a pedir auxílio das empresas de tecnologia e outras entidades que estariam presentes no evento para ressarcir o prejuízo do cancelamento.

A edição anterior, em 2019, foi considerada a maior da história do Mobile World Congress. De acordo com a organização, 109 mil pessoas passaram pelo complexo que sedia o evento, vindas de cerca de 200 países diferentes. Em termos financeiros, estima-se que a edição tenha gerado um impacto econômico de 473 milhões de euros, além de ter sido responsável pela criação de mais de 13 mil postos de trabalho.

Retorno híbrido
Com o desafio de retomar o evento enquanto a pandemia ainda impõe restrições e a vacinação caminha em ritmos diferentes ao redor do globo, a GSMA optou por modelo híbrido para realizar a edição deste ano do MWC, em Barcelona. A edição reunirá os métodos de segurança e aprendizados já testados pela organização, em fevereiro, com o MWC Shangai 2021, que também combinou elementos presenciais e virtuais. Segundo a organização, na ocasião, todos os participantes foram testados e nenhum caso de Covid-19 foi confirmado antes, durante ou depois do evento.

Em Barcelona, o evento, mais uma vez, terá o Fira Gran Via como sede e espera receber 35 mil participantes presencialmente, além do público online. Um terço dos 350 palestrantes do evento vão se apresentar de maneira virtual. O Microsoft Teams foi anunciado como parceiro oficial do MWC para as videoconferências.

Para reproduzir a experiência da feira online, serão realizados tours de exibição ao vivo, conduzidos por especialistas do setor. Patrocinadores e expositores, como Dell Technologies, Orange e TelcoDR, também oferecerão tours exclusivos para mostrar seus lançamentos e cobrir temas como a quinta geração (5G) e internet das coisas (IoT). Workshops com a rede de especialistas do evento também ganham versão virtual e o aplicativo MyMWC usará dados para recomendar reuniões e indicar contatos, facilitando o networking.

Parceiros e patrocinadores
Apesar do interesse da GSMA em retomar parte das atividades de maneira presencial, grandes empresas da indústria de telecomunicações rejeitaram a ideia e anunciaram que não estarão presencialmente no evento, ainda que participem de maneira virtual. Entre as marcas, estão Lenovo, Samsung, Google, Ericsson, Sony e Nokia. Ainda assim, no fim do mês passado, a entidade divulgou sua lista de patrocinadores e parceiros que reúne Accenture, Citi, Dell, Huawei, Nvidia e outras. Mais uma vez, o 4YFN evento de startups se une à programação do MWC.

Impacto conectado
O tema central do evento, que unirá o retorno do Mobile World Congress e seus expositores, é o “impacto conectado”. A ideia da organização é debater como o ecossistema móvel pode transformar a vida das pessoas, em um mundo em constante mudança. Flexibilidade e agilidade são apresentadas como palavras-chave para as análises do evento. A instituição também dividiu o conteúdo da feira em sete grandes tópicos. Em conectividade, será abordada a implantação do 5G, assim como o planejamento da sexta geração móvel (6G). As teles como parceiras para outros setores da indústria, a IoT e a criação de cadeia de suprimentos digital são o foco em indústria conectada. A inteligência artificial, sua consolidação e papel no futuro também estão entre os temas do evento. Com o 4YFN, a feira dá espaço à inovação startup e seus líderes. A Covid-19 será pauta em sociedade do futuro, que se propõe a pensar o papel da tecnologia na recuperação e os novos locais de trabalho. Entretenimento, games, plataformas de mídia e o futuro dos eventos entram em tecnologia criativa. Por fim, o MWC também se dedicará ao consumer experience e à evolução da publicidade personalizada.

 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • dell

  • Ericsson

  • Google

  • gsma

  • GSMA Latin America

  • lenovo

  • microsoft

  • Nokia

  • Samsung

  • sony

  • eventos híbridos

  • Mobile World Congress

  • MWC

  • mwc 2021

  • mwc híbrido

Patrocínio